Latest Entries »

Raramente tenho encontros lúcidos com seres como esse.

Esse aconteceu essa noite, madrugada de 3 de setembro de 2012.

Eu estava tranqüilo num domingo a noite.
Pela tarde senti uma energia diferente, o tipo característico que sinto que me dá a certeza que alguma coisa me chama para a projeção.
Parece místico isso, mas eu sei quando vou sair do corpo.

Os mentores ou algum espírito me avisa e acho que tem a ver com isso sim, pois eu tive a certeza que iria sair do corpo, alguma coisa me avisou e acho que foi esse sujeito.
Senti uma energia diferente, uma ligação forte com algo mesmo do umbral. Mas não era uma sensação ruim por total. Era algo ligado à escuridão sim, mas um chamado diferente.
Senti ligações para a igreja Católica antiga, a Apostólica Romana.
Tive até algumas visões sobre isso que na hora não consegui interpretar direito.

Fui deitar depois da 01:00 da manhã, fiquei na cama por um tempo ainda meio que sentindo uma grande ligação com algo que incomodava um pouco, mas me mantive bem sintonizado com alguma coisa boa.

Virei de lado e senti uma grande expansão da aura com algo passando pela minha coluna.
Senti a cabeça espirtual balançar forte e o chacra frontal fortíssimo. Minha consciência meio que queria apagar, mas forcei para isso não acontecer.
Nesse estado de Hipnagogia(meio acordado e dormindo), senti varreduras energéticas pelo corpo todo.

Até que senti o desencaixar do corpo e consegui manter a lucidez para isso, mesmo dormindo ao lado da esposa (o que não é muito fácil).
Fui deslocado e afastado rapidamente do corpo. Abri os olhos e nem mais em minha casa eu me encontrava.
Era um ambiente como se fosse um antigo templo, uma igreja abandonada e bem antiga.
Olhei para uma abertura com janela de vidro aberta, e pensei em sair dali voando, mas senti que era ali que tinha que estar. Nesse momento vi uma estátua grande, parecia Maria segurando Jesus pequeno no colo. Quando percebi ao lado da foto me olhando algo escuro, com uma capa preta parecendo um Sith do Star Wars.

Seus olhos eram avermelhados e na mesma hora me preparei para ser atacado e tive que me segurar para não ser puxado para o corpo devido o susto que tomei.

Ele levantou a mão em minha direção e falou algo mais ou menos assim: Hoje não vou lhe atacar, quero só conversar. Não se assuste para não voltar ao corpo, pois estou preparando esse encontro tem dias e pedi permissão para isso.

Fiquei olhando para ele muito desconfiado. AInda não tinha assimilado ao todo o fato de um ser daquele ter conseguido me tirar do corpo e preparado todo ambiente para me tirar do corpo e também ainda estava vigilante em relação a minha lucidez, que percebia perfeitamente inteira. Sentia-me muito lúcido e pensei nos mentores nessa hora, exatamente por saber a força de manipulação desses seres.

E perguntei desconfiado: O que deseja comigo?

Eu não lembro perfeitamente de tudo, mas tem algumas coisas que jamais vou esquecer dessa experiência. A hora que ele abaixou o capuz preto. Era quase careca, o pouco cabelo que tinha era branco, era bem velho, rosto bem pálido branco quase cadavérico, o olho era meio avermelhado, os dentes bem velhos e se portava calmamente, parecia carregar um conhecimento bem profundo sobre religião e percebi claramente a ligação dele na manipulação de pessoas ligadas às religiões. Havia conhecimento demais naquele ser.

Ele tirou o Capuz e falou:
Não vou mais lhe atacar, mas lhe fazer pensar.

Quero perguntar algumas coisas pra você.
Por que acha que somos ruins, o que é ser ruim pra você, querer a liberdade ou impor um único caminho?
Você acha que liberdade é ser obrigado a ficar dentro de uma lei que lhe prende, se errar ela lhe ferra, se acertar você não sofre. Isso é imposição! O que eu faço é muito melhor do que isso, eu quero que as pessoas sejam livres para seguirem o destino que bem desejarem. (ele falou mais ou menos nessas palavras).

Ele apontou para a estátua de Maria e falou:
esse Deus aqui, eles nos obrigam a ser o que eles acham melhor, isso é liberdade?
Mas eu questionei ele, rebatendo educadamente falando:
Mas você acha que liberdade é ficar preso somente nessas 3 dimensões que fica?

E deu um sorriso bem engraçado que até eu ri junto e pedi desculpa, mas foi muito engraçado, ele tossiu enquanto deu risada e não agüentei.
E ele rindo ainda mais do meu sorriso falou:
Pelo menos você não se perdeu totalmente e por isso estou vindo aqui falar com você.

Percebi claramente nesse momento a tentativa dele mexer no meu orgulho e fiquei bem lúcido para isso, o que mostrava que não estava sem lucidez.

E ele continuou:
Eu estou mesmo só nessas dimensões, mas aqui eu faço o que quero. E não sou de prejudicar ninguém como pensa, só tento mostrar que o que eles buscam não é liberdade, mas é uma aceitação como bestas cegas, andam seguindo Jesus como se quisessem ser o que não são. Vocês nem serão santos e nem serão livres, trilhando esse caminho que nos colocam à força!

E eu rebati o argumento de novo, mas senti que não estava sozinho nessa hora. Senti a intuição forte e algo quase que controlar o que estava falando:

Mas amigo, pense comigo:
Quando uma criança nasce, ela não quer ir pra escolha e nem tomar a amarga injeção, mas é necessário para ela isso, mesmo que não goste. Já pensou se uma criança seguisse sozinha nesse mundo à Deus dará, que vida acha que ela teria? Os pais quando impõem algo para seus filhos para que eles não sofram no futuro e encontrem um caminho menos doloroso.

Existem planetas, pessoas vivendo em todo esse universo acima de nós, aqui é só uma das infinitas casas que o espírito habita, por que você acha que consegue ter todo o conhecimento vivendo somente aqui? Não somos tão grandes como pensa assim e a liberdade é bem relativa ao tipo de consciência que temos.

Nessa hora ele colocou o capuz de volta e falou:
Sei que não foi você quem falou agora. E meu momento aqui já acabou.
Eu vim só tentar lhe trazer para um lugar mais livre e inteligente.
Esses metidos a santos sempre aparecem para atrapalhar tudo.

A conversa foi extensa e não consigo me lembrar muito bem de tudo, as lembranças foram chegando aos poucos.

Nessa hora eu perdi a noção de tempo (pelo menos foi o que me lembrei depois).
Não sei por quanto tempo fiquei ainda fora do corpo e lá conversando, só sei que acordei no corpo com uma leve dor de cabeça, olhei a hora(4:34) e adormeci de novo. Fiquei com uma preguiça enorme de levantar e escrever, isso com certeza me fez perder valorosas lembranças.

Queria fazer alguns comentários sobre a experiência.

Esse ser tem lógica no que fala, se não fosse a lógica de uma criança que não quer estudar e acha que sabe tudo dentro daquele ângulo que tem.
E é verdade. No fundo estamos presos na lei do Karma(Causa e Efeito), mas não por imposição, mas por conhecimento lógico do que podemos fazer.
Por mais que seja lógico, um animal não consegue ter a liberdade toda que pensa.
Eu me lembro dele falar (não sei com qual termos), que a repercussão de não fazer o que queriam era ficar ali na escuridão e preso naquelas dimensões.

Pensando com calma ele tem algum fundamento nos argumentos, e sua intenção clara era me confundir.
Ele não era nem um pouco bobo e de algum jeito utilizou até dos tipos de pensamentos que poderiam me persuadir por saber que havia abertura em mim. Ele falou até dos FAQS. Que eu fazia vídeos para despertar as pessoas, mas que podia despertar muito mais e do jeito correto.
Que cara inteligente e preparado.
Mas não estava certo.
Senti uma energia muito forte nele, ele tinha uma força por trás, como se algo estivesse manipulando a energia do ambiente, por isso inclusive os mentores estavam ali junto e bem forte, a ponto até de falarem para ele me ajudando na argumentação, até por saberem exatamente as intenções dele e qual tipo de coisa iria fazer ele desistir.

O caminho da luz é inevitável, o do despertar.
São homens que por mais que tentem, terão que ser naturalmente impulsionados à evolução, mesmo que achem que isso não é liberdade.
Imagine o grau de lucidez de um Cachorro por exemplo. Por mais que ele tente ser liberto, nós sabemos que dentro daquele nível de compreensão das coisas, eles sempre ficarão limitados à sua forma de enxergar, claro que nada dá saltos e não acontece por acaso.

O mais curioso é um cara desse manipular tudo, até mesmo o encontro lúcido.
Provavelmente sabendo até que eu ao me lembrar provavelmente divulgaria o conteúdo do mesmo.

Ele bem que poderia (como deve fazer), fazer isso e não deixar eu me lembrar lá fora. Mas despertaria com questionamentos e as sensações passadas lá chegariam durante o dia sem que eu soubesse muito bem a origem e por qual motivos estavam ali.

E ele tinha estilo.
Era um cara equilibrado (aparentava conhecimento do que fazia), não me pareceu nervoso ou doente mental. Pelo contrario. E a roupa que usava chama a atenção, parece muito um Sith dos Star Wars sim, vende uma imagem de sábio, de conhecedor, de dominador, de mestre a ser seguido.
Percebi que durante a conversa tentou me manipular tanto nas ideias como no orgulho. Se vacilar cai fácil nessa conversa, é quase um pacto!

Fica aqui uma grande lição para mim e de forma de alerta e compreensão eu divulgo (espero que o amigo de olhos vermelhos não fique feliz por isso e diga: consegui o que queria).
Mas sei com toda certeza que alerta também para os tipos de consciência que nos rodam. São homens inteligentes e que dominam e conhecem muitas coisas, mas não sabem o melhor para si mesmo.

Mais cedo ou mais tarde acordarão, como tantos outros, e aceitarão o caminho da libertação que é conhecer a si mesmo e avançar.
Se tem uma coisa que fazemos é mudar e avançar.

Um abração e boas aventuras fora do corpo, elas realmente NUNCa acabam e cada dia aprendemos mais!

Saulo

 

Fonte: Instituto Viagem Astral

http://www.viagemastral.com/site/2012/09/03/encontro-com-um-mago-negro/

Abdução e desdobramento.

Olá amigos leitores do Força Vital  finalmente um tempinho para postar algo no blog.

Bom, hoje estava na biblioteca pública da minha cidade retirando alguns livros para ler nas férias, depois de renovar os que  tinha e pegar mais dois, resolvi  procurar alguma coisa para ler depois das féria e acabei me deparando com um livro de Ufologia  intitulado Sequestros Alienígenas, Investigando Ufologia com e sem Hipnose, não tive muito tempo para ler,  olhei apenas algumas paginas, mas me deparei com a palavra desdobramento, se não me engano em um subtítulo, para mim não foi espanto, sei  hoje  o que a maioria dos estudantes de projeção sabem, se não sabem deveriam saber, que a maioria dos casos de abdução possuem características muito parecidas com o fenômeno da projeção da consciência,  e de fato ocorrem durante  um projeção assistida, ou seja, aquela que é  estimulada por seres de outros orbes ou do nosso próprio, neste casos a abdução não ocorre no campo físico o corpo  não é levado a lugar algum,  tudo que ocorre durante estas experiências acontece em planos não físicos, claro que não estou dizendo querendo dizer que  abdução física não ocorra eu realmente não sei, mas como tratamos neste blog de Desdobramento afirmo que é fato que abdução física pode ser confundida com  ao desdobramento assistido, principalmente quando a pessoa não possui um conhecimento sobre Projeção de consciência, se uma pessoa nunca ouviu falar como pode ela relatar algo como sendo uma projeção ela ira descrever os acontecimentos de acordo com o seu conhecimento.

Eu percebi estas semelhanças depois de ler e ver em programas de TV vários relatos sobre abdução, até ai eu não sabia que já existia especialista que afirmavam que abdução ocorria durante um desdobramento, mas para mim ficou muito claro que as pessoa se equivocavam em seus relatos  pela falta de conhecimento  descreviam toda a experiência  como se ocorresse no plano físico mas era por que se tratava de um desdobramento induzido, pois os sintomas eram iguais aos experimentados durante um Desdobramento.

Por hoje é só  amigos  quem quiser saber mais me manda um Email  eu farei questão de conversar sobre o assunto.

Obs. Primeiro texto de autoria minha aqui no blog! :D

São muitos os benefícios da projeção astral. Além de ser um caso avançado e híper-consciente de sonho lúcido, cujos benefícios psíquicos e cerebrais são conhecidos, é na experiência espiritual que os praticantes encontram a sua maior motivação. Algumas das vantagens das saídas do corpo:

- Ampliação de horizontes

- Desenvolvimento acelerado das atividades parapsíquicas

- Eliminação de intermediários (e seus “pedágios conscienciais”) no processo evolutivo

- Substituição da simples “fé”, questionável; pela certeza íntima, inabalável.

- Contato direto com amparadores espirituais

- Possibilidade de resolução de problemas

- Assistência espiritual, em especial a desencarados

- Reencontro com entes queridos

- Possibilidade de namoro astral

- Ampliação do discernimento

- Cursos conscienciais no astral

- Possibilidade de conhecer novos lugares, no físico e/ou no astral

- Ampliação das possibilidades de teste e pesquisa

- Conhecimento direto dos processos de assédio, tratando-os assim que são identificados – o que reduz anos de obsessão.

- Melhor aproveitamento da encarnação (dormimos 20 anos em cada 60 de vida)

- Facilitação de experiências retrocognitivas (inclusive de outras vidas) e/ou precognitivas

- Maior integração lúcida do consciente com o inconsciente (individuação junguiana)

- Possibilidade de co-criação de realidades por plasmagem direta no duplo etérico (magia mental)

- Oportunidade de trabalho direto com os conteudos sombrios da psique – Maior conhecimento do plano astral, reduzindo período intermissivo e acelerando a evolução

- Satisfação pessoal e sensação evolutiva, inexpressável aqui.

Explicações!

Espero que os leitores do blog Força Vital me desculpem pela falta de posts, mas e que estou ocupado com meu curso de comunicação visual, são muitos trabalhos, então assim que sobrar tempo vou colocar novas informações a todos. Muito Obrigado a todos

Fiquem avontade para perguntar qualquer coisa através dos comentarios!

Paz e luz.

A vida começa com a primeira inspiração e se prolonga até a última exalação. O alento é a vida, que flui com tal naturalidade que são poucos os momentos em que percebemos o seu valor. No entanto, se compararmos os elementos vitais para a existência, este vai ocupar o primeiro lugar: sem alimento consegue-se subsistir durante várias semanas, sem água alguns dias, sem ar durante alguns minutos, mas sem prána, sem energia, não podemos subsistir nem um segundo sequer.

Respirar é viver, respirar bem implica viver melhor, respirar com plenitude significa existir plenamente. Acontece que a maioria das pessoas respira de forma superficial e insuficiente, utilizando apenas uma ínfima parte da capacidade pulmonar e vital. É uma forma bastante precária e limitada de respirar e viver, se considerarmos o potencial que temos para desenvolver de saúde, vitalidade e resistência.

A cada estado emocional corresponde um ritmo respiratório. Uma cadência profunda e ritmada demonstra satisfação, segurança e serenidade. A respiração curta e rápida denota ansiedade, insegurança ou medo. Aprendendo a manipular o ritmo respiratório com as técnicas ensinadas neste livro, conseguiremos modificar e sutilizar as emoções, o que irá interferir positivamente nas relações afetivas, no desempenho profissional e na qualidade de vida.

Porém, os respiratórios do Yoga vão muito além, pois através deles tomamos consciência de que a energia vital que compõe nosso corpo é a mesma que configura e movimenta o Universo, mostrando-nos outra dimensão de nós mesmos.

O pránáyáma é um excelente aliado para os esportes, especialmente mergulho, surf, natação, alpinismo, artes marciais, atletismo e outros, por ampliar incrivelmente a capacidade pulmonar e outorgar maior resistência, mais consciência corporal e respostas rápidas a todas as exigências físicas. Também para o canto, teatro ou qualquer outra atividade na qual seja imprescindível uma voz clara, limpa e melodiosa, predicados que dependem de uma respiração bem aplicada; e ainda para melhorar a qualidade de vida, amenizando o stress advindo do ritmo alucinante dos grandes centros urbanos.

A palavra pránáyáma deriva de dois termos sânscritos: prána , que significa alento, força vital, respiração, energia, vitalidade e ayáma, expressão que, segundo o Amarakosha , significa extensão, intensidade, propagação, dimensão. Pránáyáma, então, é o processo através do qual se expande e intensifica o fluxo da energia no interior do corpo. Em outra acepção, esta palavra estaria formada pelos vocábulos prána, designando a energia vital e yama, que significa controle, domínio, retenção, pausa. Donde, pode traduzir-se também como domínio da bioenergia, utilizando técnicas respiratórias.

Esse domínio não se faz no sentido de limitar a respiração, mas de expandi-la, a fim de lograr juntamente com isto a elevação da consciência. Uma vez que a respiração esteja perfeitamente regulada poderemos facilmente controlar os processos conscientes, já que respiração, mente e emoções interagem mutuamente.

Em todos os textos de Yoga que chegaram até nós, o prána aparece sempre associado à força vital, energia e poder, porém, é preciso destacar que este termo possui dois aspectos: o cósmico e o individual. O prána cósmico abrange todas as formas de energia existentes: a matéria (dinâmica na vibração das suas partículas atômicas) e as forças elementais da Natureza (luz, calor, magnetismo, eletricidade, gravidade) são suas expressões tangíveis.

No plano sutil também designa o pañchatattwa, os cinco elementos que constituem a matéria. “Shiva disse: Oh, Párvatí, este corpo nada mais é do que a combinação dos cinco elementos: éter, ar, fogo, água e terra.” Segundo a cosmogonia Sámkhya, esses pañchatattwa formam o último estágio da manifestação de Prakriti, a Natureza, a substância primordial que emite o Universo através da interação das três qualidades que a compõem.

No plano humano, prána é o substrato energético que forma o nosso corpo tangível, regulador de todas as funções orgânicas e físicas. O volume de prána que circula dentro do corpo determina o grau de vitalidade de cada indivíduo. Extraímos essa bioenergia de diversas fontes: da luz e do calor do sol, dos alimentos que ingerimos, da água que bebemos, e, principalmente, do ar que respiramos. Ela circula no corpo pelas nádís, canais da fisiologia sutil.

O prána pode ver-se facilmente, em dias de sol e céu limpo. Deitado ou sentado ao ar livre, fixe o olhar no infinito, respire tranqüilamente e mantenha a mente alerta. Poucos minutos depois você começará a ver minúsculas esferas de luz brilhante e transparente, que refletem o azul do céu. Utilize sempre esta imagem ao visualizar a absorção do prána.

O ar que respiramos é ar material (sthúla váyu). Através do domínio desse ar material, que conseguimos controlar o prána ou ar sutil (súkshma váyu). É sobre essa relação entre o ar denso e o ar sutil que versa o pránáyáma. O prána como energia manifestada biologicamente é um conceito essencial dentro do Yoga.

Através do desenvolvimento e controle dessa força atingimos os estados de consciência relativos à unificação do ser, indispensáveis para alcançarmos o samyama . O domínio e a expansão do prána no corpo do praticante começa pela execução de determinados exercícios que consistem em dar à respiração um ritmo diferente daquele que caracteriza o estado de vigília, visando a fazer com que ela flua ora de forma lenta e profunda, ora acelerada e vigorosa, de acordo com o efeito desejado. A razão disto é que existe uma relação muito estreita entre ritmo respiratório e estados de consciência.

Esta afirmação vai muito além da simples comprovação de que, por exemplo, a respiração de uma pessoa que está fazendo um esforço para concentrar-se diminui o seu ritmo naturalmente, enquanto que alguém submetido a uma situação limite respirará de forma superficial e agitada. O Yoga conhece quatro estados bem diferenciados de consciência, além do samádhi : o estado de vigília ou consciência habitual (que é a que você provavelmente está utilizando agora, enquanto lê este livro), o sono e o sonho nos quais a atividade consciente continua, embora regida por outras leis que não as empregadas durante a vigília; e, finalmente, o chamado turíyávastha (quarto estado), imediatamente anterior à iluminação.

Sobre esse quarto estado nos dizem as escrituras: “uma vez que a coisa chamada o espírito de vida veio de algo que é maior que ele próprio, deixai que este se entregue àquilo que se chama turíya, a quarta condição da consciência”. Porque foi dito: “há algo além da nossa consciência e que habita em silêncio nela. É o supremo mistério que ultrapassa o pensamento. Apoiai a mente e o corpo sutil nesse algo e não o apoieis em nenhuma outra coisa”.

O estado de turíya não é nada impossível de ser alcançado: desde as primeiras experiências profundas de pránáyáma ou samyama é possível vivenciá-lo. Através do pránáyáma, prolongando cada vez mais a inspiração, a expiração e as retenções, o yogi pode penetrar em todas essas modalidades de consciência. O sádhaka , mantendo a continuidade da sua atenção, vivencia os estados próprios do sono e do sonho sem renunciar à sua lucidez e logra a concentração e a unificação dos seus pensamentos no quarto estado, o que lhe dará acesso à meditação contemplativa (dhyána), e, posteriormente, ao estado de hiperlucidez (samádhi).

Porém, como veremos mais adiante, o objetivo imediato do pránáyáma é bastante mais despretensioso. Há yogis que, nos estágios mais avançados do sádhana , auto-induzem estados catalépticos, associados ao turíya, nos quais a respiração e o ritmo cardíaco diminuem até se tornarem praticamente imperceptíveis.

Isto não é de maneira alguma resultado de auto-sugestão, mas fruto da concentração e da força de vontade: “a restrição da respiração é às vezes tão grande que alguns yogis podem ser enterrados sem perigo durante um tempo, com uma reserva de ar que seria totalmente insuficiente para garantir a sua sobrevivência. Essa pequena reserva de ar tem como objetivo segundo eles, permitir-lhes sair em caso de que algum acidente interrompesse a sua experiência yôguica e os obrigasse a fazer algumas inspirações para se repor”. Dr. Jean Fillizoat, Magie et Médicine, pp. 115 e 116.

Esse estado ´cataléptico´ é um dos oitenta e quatro siddhis, os poderes paranormais (literalmente, perfeições) mencionados por Pátañjali no Yoga Sútra, poderes lendários que fazem com que o Yoga exerça um grande fascínio desde tempos imemoriais em todas as camadas da sociedade indiana, tanto sobre os filósofos eruditos como sobre os cultos mágicos populares hindus. Resumindo, podemos afirmar que o pránáyáma é a disciplina através da qual o praticante procura plasmar o seu próprio organismo com a totalidade das forças e poderes do Universo.

Extraído do livro Guia de Meditação.
Fonte: yoga

Técnica de projeção.

Autor: Emhotep e Whitehawk

A técnica que vamos observar agora foi transmitida na década de 1930, na Inglaterra, por dois amparadores extrafísicos (Emhotep e Whitehawk), através da mediunidade da Sra. K. Barkel:

“Deitar em decúbito dorsal, braços estendidos ao longo do corpo, bem relaxados e as mãos abertas. A mente dirigida à glândula hipófise (pituitária; na altura da raiz do nariz; ligada ao chacra frontal).

http://1.bp.blogspot.com/_pVb6XPkNTQE/SoenV3PQ_XI/AAAAAAAAAGg/CLMK2IECht0/s320/hipotalamo.pituitaria.jpg

http://3.bp.blogspot.com/_bCKwEj_2VVw/SsaVtMoWh8I/AAAAAAAAAb0/V07-VufRclY/s320/PINEAL.jpg

Respirar profundamente. Começar a inspiração pela parte inferior do abdômen, retraindo os seus músculos e fazendo com que o ar suba pelo corpo, até expirá-lo. Inspirar estendendo os músculos abdominais. Continuar assim, contraindo e distendendo os músculos. Inspirar contando até 7. Conservar (reter) a respiração até 7 também e expirar logo, contando novamente até 7.”

Esse exercício parece uma brincadeira, mas se o fizerdes de manhã e à noite, durante doze meses, nunca precisareis ir aos médicos e engolir diversos comprimidos. Nem necessitareis sentar durante horas no escuro, esperando um contato com o mundo espiritual. Contatareis que, sem percebê-lo, abristes a porta para o mundo astral.

- TÉCNICA DE VIAGEM ASTRAL


Aproveite a seqüência do exercício e deseje sair do corpo consciente, deixe-se levar, inflar ou até afundar, mas solte-se imagine seu corpo solto dentro da carcaça física (corpo físico) e imagine-se saindo para cima, use uma técnica imaginativa que está logo abaixo.

Dica: A persistência é a chave do sucesso. Crie o hábito de fazer os exercícios nem que seja 5 minutos por noite, mas o importante é a seqüência.

http://www.wintech.com.pt/galeria/data/media/6/Light.jpg

A definição mais simples de sonho lúcido é “estar ciente de estar sonhando enquanto se sonha”. Sonhos lúcidos normalmente acontecem enquanto a pessoa está no meio de um sonho normal e de repente percebe que está dormindo ou que tem que estar sonhando. Esta pessoa agora está “lúcida”, e pode entrar em mais de um nível de lucidez. No nível mais baixo, o sonhador pode estar parcialmente consciente de que está sonhando, mas não pode raciocinar o suficiente para perceber que os eventos/pessoas/ações no sonho não são reais/não representam ameaça. No nível mais alto, o sonhador está completamente consciente de que está dormindo, e pode ter controle completo sobre suas ações no sonho. É possível controlar seus sonhos usando as técnicas de sonho lúcido abaixo.http://2.bp.blogspot.com/_KXLNTmtvfTE/SgRsTfZup8I/AAAAAAAAC3w/1W7Frn93EVU/s400/sonhos12.jpg

Fonte: imagem

Técnica Projetiva.

Autor: Emhotep e Whitehawk

A técnica que vamos observar agora foi transmitida na década de 1930, na Inglaterra, por dois amparadores extrafísicos (Emhotep e Whitehawk), através da mediunidade da Sra. K. Barkel:

“Deitar em decúbito dorsal, braços estendidos ao longo do corpo, bem relaxados e as mãos abertas. A mente dirigida à glândula hipófise (pituitária; na altura da raiz do nariz; ligada ao chacra frontal).

Respirar profundamente. Começar a inspiração pela parte inferior do abdômen, retraindo os seus músculos e fazendo com que o ar suba pelo corpo, até expirá-lo. Inspirar estendendo os músculos abdominais. Continuar assim, contraindo e distendendo os músculos. Inspirar contando até 7. Conservar (reter) a respiração até 7 também e expirar logo, contando novamente até 7.”

Esse exercício parece uma brincadeira, mas se o fizerdes de manhã e à noite, durante doze meses, nunca precisareis ir aos médicos e engolir diversos comprimidos. Nem necessitareis sentar durante horas no escuro, esperando um contato com o mundo espiritual. Contatareis que, sem percebê-lo, abristes a porta para o mundo astral.

- TÉCNICA DE VIAGEM ASTRAL


Aproveite a seqüência do exercício e deseje sair do corpo consciente, deixe-se levar, inflar ou até afundar, mas solte-se imagine seu corpo solto dentro da carcaça física (corpo físico) e imagine-se saindo para cima, use uma técnica imaginativa que está logo abaixo.

Dica: A persistência é a chave do sucesso. Crie o hábito de fazer os exercícios nem que seja 5 minutos por noite, mas o importante é a seqüência.

Fonte:http://www.espiritualismo.hostmach.com.br/tec05.htm

Animais de Poder

>O que sao os animais de poder e o que representam?
>Eles geralmente se comunicam com a gente, ou somente mostram a sua presenca e isso ja e’ o suficiente?

Bom, Animais de Poder são mais do que seres apenas “se mostrantes”. Eles atuam como guardiões, emprestam força nas horas de perigo e são elos entre nós e o Poder.

Os atributos tradicionais do elefante como Animal de Poder são a força, a inteligência e a longevidade, mais a gentileza e a bondade de caráter. Por isso, como aliado, é um excelente auxiliar para dar força, conselhos e ajudar a manter a calma.

Mas para que vc entenda entenda melhor esse negócio de Poder, animais de poder, e o que fazer com tudo isso, estou postando um texto meu sobre o assunto, antigo, que eu já postei na Malkut, ou sei lá aonde, já não me lembro quando.

Vamos lá?

Animais de Poder / Poder Animal

Antes de sair correndo atrás do animal de poder, me parece lógico primeiro tentar entender o que é isto, para saber o que foi que nós encontramos, quando e caso o encontrarmos.

Bom, comecemos dizendo o que NÃO é um animal de poder:

Um animal de poder NÃO é um bichinho simpático que nos acompanha e nos auxilia em nossas aventuras, como costuma acontecer com todos os personagens humanos dos desenhos da Disney. Não é um outro artefato da moda esotérica para nossos bem-me-queres e mal-me-queres espirituais. Não é guia, anjo, nem amparador. E nem sempre é aquele animalzinho com o qual simpatizamos desde criança.

O animal de poder é outra coisa – é uma forma de manifestação do Poder.

Para a aproximação ao animal de poder precisamos, nós mesmos, de algo que poderíamos chamar de ‘poder pessoal’.

Esse nosso ‘poder pessoal’ tem muito a ver com nosso lado primitivo e xamânico, que foi devidamente domado, subornado e castrado pela sociedade, ao longo das gerações. Mas ainda está dentro de nós, e muitas vezes é a parte mais autêntica e verdadeira que temos por trás de nossas obrigatórias máscaras. Em outros termos, poderíamos chamá-lo de nossa ‘dignidade’. É também a necessária contrapartida do animal de poder.

http://4.bp.blogspot.com/_5OucfUtwKHk/Ss6b_wy4iEI/AAAAAAAAEAw/ehNLa8a0bGg/s400/animais.jpg

Pois bem, esse poder pessoal primitivo, autônomo e autêntico, pode, através daquilo que se chama uma conduta impecável em relação à vida, ser canalizado para se afinar com as coisas, digamos, ‘mágicas’ do universo, genericamente chamadas de ‘o Poder’ com P maiúsculo.

Conduta impecável é agir sempre de acordo com o Caminho que vc escolheu conscientemente, seja qual for, sem se desviar dele. Esse tipo de conduta acumula poder. Uma conduta irregular dispersa o poder.

Nosso animal de poder, na verdade, sempre esteve dentro de nós. E é a chave para comunicação com um Poder mais alto.

Vc fala uma língua, o Poder fala outra. Para que os dois se entendam, é preciso uma interface comum aos dois. Assim, o Poder escolhe a forma mais adequada para se comunicar com vc – ou seja, ele assume uma forma que de algum modo tenha um equivalente ou encontre ressonância dentro de vc.

Então o animal de poder não muda, conforme aumenta nosso poder? Difícil e desnecessário, pois o Poder é um só. O animal é apenas a forma como o Poder se manifesta para nós. O que varia é o grau de Poder que podemos assimilar. E isto depende de nosso atual grau de dignidade.

Assim, uma pessoa pode ter uma mariposa fortíssima como animal de poder, e outra um leão super fraco. Mas a princípio, o importante é TER um animal de poder ativo, pois isto indica que conseguimos estabelecer contato com o Poder. O resto dependerá de outros esforços nossos.

Quando os antigos classificaram as propriedades dos animais de poder, estavam na verdade classificando comparativamente as pessoas, de acordo com a forma como o Poder se aproximaria melhor delas, e vice-versa. Estavam dando nome e corpo às existentes formas de aproximação ao Poder.http://www.seteporteiras.org.br/attachments/Image/xamanismo.jpg

Eu mesmo já coloquei aqui na lista bonitos exercícios para encontrar o animal de poder. Claro que funcionam. Se nos abrirmos para eles, os animais de poder vêem até nós em sonhos, nas projeções, nas coincidências (afinal, eles já estão aí, mesmo)…

Mas talvez a forma mais certa de trazê-lo seja chamar por ele (pelo Poder) na hora da necessidade, e ter o prazer de conhecê-lo em nós, no meio da batalha. O animal virá depois. Mas isto só poderemos fazer vivendo com impecabilidade.

Enfim: O animal de poder é um extremo potencializador de nosso poder pessoal. Buscar e usar um animal de poder é ativar uma forma adequada para contatar e usar o Poder Universal. O animal de poder já está em nós. O Poder, quando se manifesta, apenas lhe dá a forma e vida necessárias para a comunicação.

Isto responde também aquela velha pergunta: mas pra que serve um animal de poder?
A resposta é: serve para vc ter acesso ao Poder, desde que vc mereça.

Mesmo assim, só vale a pena invocá-lo se pretendermos realmente usá-lo. Como acontece com a maioria das coisas, não adianta nada ter um (animal de) poder e não usar. Aliás, até atrapalha.http://3.bp.blogspot.com/_aDRYCn0gurw/R9xtXn2a4QI/AAAAAAAAAiY/fRFEdWe2bdE/S1600-R/ATgAAACpJbe-l86nhqY-u0D4vu8gLt5tH1OPit4nsnCXpApQ75SOxEt2U7h2MdO83UPZFA9F5ZFhri85QLOCzFdVneIRAJtU9VC-CrShtyTziXMEpmgHFuERZS7aGw.jpg

Bene

Escrito por: Benedicto Cohen (Bene)

Na coluna do site: http://www.voadores.com.br

Este é um texto básico, mas muito importante, escrito por Beraldo Lopes Figueiredo, que eu considero um dos maiores especialistas em Projeção Astral do Brasil. Não é fácil classificar e ordenar os seres astrais, tal sua variedade e complexidade, mas podemos nos esforçar para isso, começando a dividi-los em 3 grandes categorias: Humanos, os não-humanos e os artificiais.

01.2.1 – HUMANOS: Os cidadãos humanos do mundo astral, separam-se naturalmente em dois grupos: Os vivos e os Mortos.

01.2.1.1 – VIVOS:

01 – Adeptos e seus discípulos: São os humanos evoluídos, instruídos que operam tanto com o corpo mental como astral, mas muito mais com mental, pertencentes as Lojas, escolas orientais e algumas ocidentais.

02 – Indivíduos Psiquicamente adiantados: Esses não estão sob orientação de um Mestre (amparador), em geral são conscientes fora do corpo físico, mas por falta de necessário treino e experiência estão sujeitos a enganos e apreciação do vêem. Sua lucidez é variável , variam de acordo com seu grau de desenvolvimento e em muitos casos quando voltam ao corpo físico não lembram de sua experiência.

03 – A pessoa Vulgar: Não possuem maturidade astral, flutuam perto do corpo físico durante o sono., num estado mais ou menos inconsciente, em alguns casos numa semi-adormecido, vagueia daqui para ali, deitado seguindo algumas correntes astrais passando por toda espécie de aventuras, umas agradáveis outras desagradáveis. Quando menos evoluído for uma pessoa, mal definida será suas formas astrais, sem contornos definidos, devido a alta densidade do seu duplo etérico.

04 – O mago negro e seus discípulos: É semelhante a primeira, porém voltada para o mal. As ordens que lidam com essas forças ocultas poderosas são várias, mas podemos citar: Dügpas Europeus, Vodoo, Obeah, Magia Negra, etc.

01.2.1.2 – MORTOS:

01 – Os Nirmânakáyas: Seres elevados, no entanto por qualquer necessidade de missão que se julgue necessário descem para o plano Astral. 02 – Discípulos a espera de Reencarnação: Esse não é um habitante comum do mundo astral e sim do mundo mental, mas ocasionalmente pode-se encontrar um ocasionamente por isso é uma população muito reduzida.

03 – Os mortos Vulgares: É uma classe cuja população são de milhares e milhares de almas, também complexa limitar sua estadia no mundo astral, varia de algumas horas, dias, semanas, meses, anos e até séculos. Todos sem exceção tem que passar por todos as subdivisões do plano astral no seu caminho para o mundo-céu, algumas percorrem essas subdivisões inconscientes, para as pessoas evoluídas com várias reencarnações, essa passagem é extremamente rápida.

04 – As Sombras: Quando a extinção de um indivíduo é completa é sinal que acabou sua vida Astral, ele passa para o plano Mental (Plano Devachânico). Mas, assim como ao passar para o plano físico para o Astral há um abandono do corpo físico, assim também na passagem do corpo astral para o mental, o invólucro astral é abandonado e também irá se desintegrar, neste caso o corpo astral abandonado, é um verdadeiro cadáver. Infelizmente o homem vulgar deixa-se dominar por todos os desejos inferiores, que uma parte da mente inferior se funde com o corpo dos desejos, essas partículas da matéria astral possuem vida própria e animam esse cadáver, gerando uma classe chamada: Sombras Essa sombra não é o indivíduo real, mas conserva hábitos, semelhança física, memória mas sua inteligência é limitada, pois é um farrapo de suas piores qualidades. A duração de uma sombra varia segundo a qualidade da mente inferior que a anima, mas apesar desta astúcia que engana alguns médiuns despreparados em sessões espíritas, na medida que o tempo passa ela vai perdendo a vitalidade e se degradando até cair na classe seguinte: Os invólucros (Cascões Astrais).

05 – Os invólucros (Cascões Astrais): São os cadáveres astrais, o corpo astral abandonado e em estado de desintegração, são desprovidos de qualquer espécie de consciência e de inteligência, vagueiam nas correntes astrais como nuvens impelidas por ventos contrários. {b]Não pode ser confundido com o Duplo Etérico que conserva-se a poucos metros post-mortem do cadáver físico, se desintegrando lentamente são vistos nos cemitérios essas formas azuladas com aparência de vapores, flutuando nos túmulos dos cemitérios daqueles que recentemente deixaram o mundo físico, não é um espetáculo agradável de ver. Mas os Cascões Astrais, que vagam, podem ser usados e manipulados por meio de Magia Negra.

06 – Os invólucros vitalizados: Alguns elementais artificiais, as vezes entram dentro destas cascas astrais e dão uma vida aparente a eles. Geralmente o usam de uma forma malévola,

07 – Vitimas de Morte Súbita e os Suicidas: Todo o indivíduo que for arrancado de sua vida terrena repentinamente, em pleno gozo de sua saúde e energias, vai se encontrar no mundo astral numa situação diferenciada dos demais seres que morreram por doença. No caso de suicídio ou de morte por acidente, desastre, não se realizando os preparativos naturais e graduais, compara-se como retirar o caroço de uma fruta quando esta fruta estiver verde, grande quantidade de perietérico (combustível vital), duplo etérico, alta densidade desta matéria é pertubadora para o indivíduo recém morto, esta alta densidade vibratório levará o indivíduo a cair na sétima zona astral conhecido por baixo astral (Umbral). Porém se o indivíduo for de boa índole ficará insconsciente e por pouco tempo neste mundo trevoso. O fato do suicida, é bem mais difícil, porque interromperam sua vida através do livre arbítrio, embora cada caso tem suas variantes e nem todos os suicídios são consideráveis condenáveis, como o caso de Sócrates.

08 – Vampiros e Lobisomens: É a entidade mais cruel e repelente, mas felizmente muito raras são essa criaturas, essas relíquias horrorosas de um tempo em que o ser humano era mais animalesco, são considerados fábulas da Idade Média, pertenciam a Quarta Raça da terra, como na Rússia e Hungria, apesar das lendas exageradas, no fundo tem uma verdade inquestionável. Essas criaturas apegadas ao extremo a vida terrena usavam seu corpo astral para manter íntegro seu corpo físico, roubando sangue dos vivos com seu corpo astral semi materializado, existindo casos registrados na Europa Central de aberturas de caixão encontrava-se o corpo fresco e sadio, muitas vezes mergulhado num sangue fétido. Já os lobisomens, também de extrema raridade, nos dias de hoje, eram de uma raça extremamente carnívora que se alimentava de animais vivos, numa extrema violência, quando mortos esses indivíduos semi materializados numa espécie de Lobo e Homem atacavam nas matas outros animais. Portanto aos estudiosos de Viagens Astrais, não se preocupem pois esses tipos são de extrema raridade nos dias de hoje e geralmente os que existem ainda, agem próximos ao seu corpo físico.

09 – Magos Negros e seus Discípulos: Pertencem ao outro extremo da escala, são espíritos desencarnados, tendem a manter-se o maior tempo possível neste plano, renegando o plano mental, são criaturas extremamente hábeis com os poderes do mundo astral, violam a lei natural da evolução , pois mantém-se no mundo astral pela manipulação de artes mágicas: MAGIA NEGRA. Deve-se frisar que para se conseguir isso, é a custa de outras vidas, roubando de outrem o tempo de vida legítimo.

01.2.2 – NÃO HUMANOS:

01 – Corpos Astrais dos Animais: Apesar de extraordinariamente numerosa, esta classe ocupa um lugar subalterno no plano astral, visto ser muito curta a permanência neste plano dos membros que a compõem. Os animais em sua grande maioria ainda não adquiriram ainda uma individualização permanente e quando morrem a essência monádica que os animava volta ao stratum especial donde vieram. Geralmente essa existência não passa de uma espécie de sonho inconsciente impregnado, ao que parece de uma perfeita felicidade. Quanto aos animais domésticos que já atingiram a individualidade, o caso de alguns gatos e alguns cachorros, esses tem uma vida astral mais longa e mais ativa, mas caindo por fim num estado passivo subjetivo que dura pouco. Dos animais selvagens os que já atingiram a individualização encontra-se os Macacos Antropóides, que forma uma classe interessante, visto que se aproximam de reencarnarem como seres humanos.

02 – Os espíritos Naturais: Compreende-se esta classe subdivisão tão numerosa e tão variada que pode-se dizer não serem totalmente conhecidas em sua integralidade. Classificadas por alguns escritores como ELEMENTAIS, são espíritos da natureza, tendo os da terra, do ar, da água e fogo. São entidades astrais dotadas de inteligência, definidas, que habitam e funcionam cada um desses meios. Na linguagem popular tem uma grande variedade de nomes: Fadas, pixies, brownies, salamandras, duendes, trolls, sátiros, faunos, sacis, etc. São em forma reduzida ou de baixa estatura. Em geral são invisíveis para a visão física mas alguns possuem a propriedade de se materializarem quando lhes convém. Em sua maioria evitam os seres humanos, visto não gostarem das emanações fluídicas humanas, os vícios e desejos desordenados põem em ação correntes astrais que os pertubam. Os períodos de vida desses seres variam muito, alguns muito curtos, outros maiores que as nossas vidas.

03 – Os Devas: O mais alto sistema de evolução que tem relação com a terra, são seres que os hindus chamam de Devas, no Ocidente Anjos, “Filhos de Deus”, amparadores, são considerados um reino acima do humano, assim como os animais irracionais um reino inferior aos humanos, chamados também de Regentes da Terra, Anjos Celestiais, são eles agentes do Karma do ser humano. Poucas vezes se manifestam no mundo astral, estão mais presentes no mundo mental, mas quando o fazem são notáveis pela beleza e luz que irradiam, parecendo possuírem asas tal beleza de suas auras, parecem possuir uma aureola tal é a luz do seu chakra coronário.

01.2.3 -ARTIFICIAIS:

01 – Elementais criados inconscientemente: A essência elemental nos rodeia por todos os lados. É flagrante o efeito produzido por um pensamento que quando apodera-se da matéria plástica astral, ele molda instantaneamente um ser vivo, ser que uma vez criado não fica de forma nenhuma sob a influência do seu criador , mas adquire o instinto básico de qualquer réstia de vida que o INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA. A duração de um elemental (Formas-Pensamento) varia muito sendo proporcional a intensidade dos pensamentos de quem o gerou. Alguns minutos, horas, mas o pensamento forte, repetitivo, convicto pode durar alguns dias. Os elementais ficam em volta do seu criador em suspensão, circulando, tendem a provocar a repetição da idéia buscando se fortificar para viver mais tempo. Crianças criam companheiros astrais. Tem como tendência prolongar suas curtas vidas reagindo sobre o seu criador, provocando a renovação do pensamento que o originou. Existem casos de criações encontrarem energias paralelas e se alimentarem de várias ao mesmo tempo, o que prolongaria sua vida por um tempo bem considerável, alguns deixam seus criadores , encontrando essa energia no próprio astral se transformam em demônios errantes. Casos de mães devotas criando para seus filhos anjos da guarda, visto por muitos clarividentes, acompanhando algumas crianças.

02 – Elementais Criados Conscientemente: Tantos os adeptos e ocultistas da Magia Branca e Magia Negra se servem freqüentemente de elementais artificiais nos seus trabalhos, neste caso essas criaturas são como escravas, poucas são as tarefas que não possam ser realizadas por essas criaturas quando cientificamente preparadas e habilmente dirigidas. Não tem sido pouco o mal que essas criaturas espalham pelo mundo. Os elementais formados conscientemente são dotados de uma inteligência superior aos formados inconscientemente, além da duração de suas vidas, serem bem maiores, por isso são mais perigosos. Da mesma forma são mais astutas para prolongar a vida, quer alimentando-se como Vampiros da vitalidade de seres humanos, quer influenciando que façam oferendas, matando animais, cuja vitalidade é direcionada e absorvida pelo elemental. Podem prolongar suas vidas por anos a fio, tem casos que são séculos. Tem um caso na índia que uma entidade protetora das lavouras, quando não lhes era ofertada as oferendas, alimentos, focos de fogos espontâneos rebentavam simultaneamente entre as cabanas, apareciam do nada.

03 – Artificiais Humanos: apesar de ser pouco numerosa esta entidade existe, guardiões de Lojas Brancas, Demônios da Idade Média, líderes que já reencarnaram, mas seu ser artificial ainda continuam vivo no mundo astral e são vistos por clarividentes.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.